Manual do Churrasqueiro

19 erros comuns na hora de fazer um churrasco

19 erros comuns na hora de fazer um churrasco

Churrasco no fim de semana. Carvão em brasa, espetos a postos e sal grosso na picanha. Mas, ao fatiar e provar a carne, vem a sensação de que ela não está igual àquela da churrascaria.

Se você vai preparar ou comer um churrasco neste fim de semana, que tal fugir de problemas? Apresentamos a lista dos mais comuns.

 

  • Usar carvão úmido – Ele não pega fogo e nem mantém a brasa.
  • Não cortar a carne corretamente – A carne fica dura se não for cortada contra as fibras.
  • Jogar água para abaixar a chama – O ideal é usar a cinza do churrasco anterior para abaixar a brasa.
  • Não ter a brasa na temperatura correta – A brasa deve estar bem quente para as carnes de curto preparo e, em temperatura média, para costelas. – Se quente demais, a costela não tem tempo de amaciar e fica dura. Se uma carne de rápido preparo, como bife ancho, for colocada em temperatura baixa, cozinha e não fica ao ponto. Para saber se a brasa está quente, coloque a mão perto, se não aguentar mais de 10 segundos, está quente.
  • Comprar carne em qualquer açougue – Para quem é leigo, a dica é comprar o produto em lugares confiáveis, como supermercados de rede e de boas marcas.
  • Temperar com antecedência – Quando a carne é temperada com antecedência, perde água. A carne deve receber uma pequena quantidade de sal grosso triturado somente cinco minutos antes de ir para a grelha, retirando o excesso. Adicionar pimenta-do-reino moída na hora também confere sabor agradável. O sal grosso sem ser triturado só serve para assar a costela de boi.
  • Colocar pedaços de carne pequenos na mesma altura dos maiores – Pedaços pequenos de carne precisam ser feitos a 15 cm da brasa e, pedaços maiores, a 40 cm de distância.
  • Furar a carne para que o tempero penetre – O erro faz com que a carne perca a suculência, tempere sem furar.
  • Tostar a carne – Isso acontece quando o fogo está com chama alta. A carne deve ser selada dos dois lados apenas no fogo em brasa, para que o sangue fique retido e assegure a maciez. Se o convidado preferir carne sem sangue, basta cortá-la em posta e selar rapidamente dos dois lados. O pedaço ficará macio e, ao mesmo tempo, sem sangue.
  • Enfiar garfão na carne para virar durante o preparo – Ao usar o garfão, a carne é furada e, portanto, perde a suculência. Vire-a com pinça e, se não tiver, com garfo pela ponta do alimento.
  • Servir com pães de leite – Os melhores pães para o churrasco, são francês, italiano ou outros com a casca mais dura.
  • Servir salgadinhos fritos ou petiscos pesados – Na hora de comer as carnes, ninguém terá mais fome. O ideal é servir saladas de folhas, pepino, tomate e cenoura para iniciar o churrasco, pois ajudam na digestão. Depois, é a vez da linguiça, costelinhas, costeletas. Por fim, as carnes principais, que podem ser acompanhadas de farofa e cebola na brasa.
  • Misturar bebida alcoólica – Escolha uma bebida e permaneça com ela até o fim do churrasco. É mais saudável e você fará uma melhor digestão da carne.
  • Pedir para receber lasquinhas de carne durante o preparo – O hábito faz com que tire a parte de fora da carne, que a protege. Assim ela resseca.
  • Comer muito logo no início do churrasco – Experimente apenas um pouco de tudo, para poder apreciar melhor as carnes principais.
  • Pedir carne bem passada – A carne fica seca e, por isso, mais dura.
    Pedir para abrir e passar mais a carne – Ao abrir a carne, ela fica mais seca. Se for passar um pouco mais, ela deve estar fechada.
  • Mexer nas carnes do churrasqueiro – O churrasqueiro sabe o ponto que está cada carne e é melhor esperar que ele sirva conforme for ficando pronta. Apressadinhos, controlem-se.
  • Pedir carnes para o churrasqueiro, fazendo com que se apresse – Com certeza, a carne vai ficar fora do ponto. O churrasco é um ritual de confraternização, uma diversão. Portanto, aprecie com tranquilidade.

Gostou deste post? Deixe seu comentário